1

O Futuro da Pecuária e da Agricultura

Para que um negócio perdure durante o tempo é preciso estar em constante evolução, uma solução é estar sempre se inovando e a melhor forma de inovar é buscar novas tecnologias.

No agronegócio não é diferente, precisamos sempre estar a frente das novas tendências.

Um sistema que surgiu a 15 anos no Estado Paraná e está corroborando muito para a evolução tanto da pecuária quanto da agricultura é o sistema Integração Lavoura Pecuária Floresta, conhecido pelo sigla ILPF.

O ILPF é uma forma de aumentarmos a produção das propriedades do agronegócio brasileiro, por meio da integração de atividades agrícolas, pecuárias e florestais tendo dentro da mesma área as três culturas e, assim produzindo de maneiro segura 365 dias ao ano, grãos, proteína animal, fibras, bioenergia e árvores

A ILPF pode ser implementada de diferentes formas, colando dois ou três componentes em um sistema produtivo.

As maneiras que podem ser produzidas as diferentes culturas são nas formas consorciadas1 de sucessão2 ou rotação3.

1) é um sistema de cultivo no qual duas ou mais espécies vegetais são cultivadas na mesma área simultaneamente

2) ocorre quando diferentes espécies vegetais são semeadas, uma após a colheita da outra, dentro do mesmo ano agrícola, tendo como exemplo para a região central do Brasil a sucessão soja-milho safrinha

3) ocorre quando há alternância de espécies vegetais, ocupando o mesmo espaço físico e o mesmo período do ano para o fim de buscar efeitos sinérgicos otimizando tanto a criação de bovinos quando a plantação de grãos.

Após apresentarmos a ILPF, vamos ver alguns dos seus benefícos, aqui vamos focar nos principais.

A ILPF surgiu para otimizar o processo e a produção de grãos, carne, leite, produtos madeireiros e não madeireiros na mesma área, fazendo com que a propriedade produza os 365 dias do ano. Além de aumentar a produção dos alimentos e de forma diversificada.

A diversificação de culturas aumenta a possibilidade do faturamento da propriedade e diminui o risco do negócio.

Podemos citar que a integração possibilita que os recursos (água, luz, nutrientes, capital, maquinário e equipamentos da propriedade) sejam utilizados de forma sinérgica entre as três culturas.

Uma pergunta muito corriqueira é qual o tamanho da propriedade para que possa ser implementado esse sistema e a resposta é que a ILPF pode ser aplicada para propriedades rurais de todos tamanhos e perfis.

Citasse também a otimização e a intensificação da ciclagem de nutrientes no solo, e a melhora do bem-estar animal em virtude do maior conforto térmico, sendo eles benefícios.

Por fim, a ILPF tem um papel fundamental para propriedades com solos arenosos, pois possibilita que esses solos sejam melhor aproveitados, devido ao manejo diferenciado.

Além de todos os benefícios para a fazenda, a ILPF tem um papel de suma importância em ajudar o meio ambiental.

Hoje a grande preocupação dos países é diminuir a poluição das megacidades e equilibrar o meio ambiente, visando a sustentabilidade.

E uma das grandes ferramentas que vieram para ajudar é a ILPF que aumenta a biodiversidade e mitiga a emissão de gases causadores do efeito estufa

Um dado importante vindo do COP, Conferência do Clima, sendo este um acordo Global sobre as mudanças do clima, é que o Brasil cumpriu uma das metas já estabelecidas em uma das conferências, que era de implementar em 9 milhões de hectares a integração e assim o Brasil tem hoje 11,5 milhões de hectares que já aderiram ao uso desse sistema.

Já apresentamos a ILPF, também falamos de seus benefícios para o fazendeiro, para a propriedade e para o meio ambiente, mas a grande pergunta de todos do agronegócio é se a ILPF aumenta consideravelmente a rentabilidade da propriedade.

Já de início digo que sim, aumenta e muito. No decorrer do artigo citaremos um exemplo de um produtor do Paraná.

A integração tem viabilidade econômica sim, pois possibilita a melhor utilização dos recursos da propriedade e do solo, por meio de uma diversificação de culturas, assim gerando uma maior produção que consequentemente aumentará o lucro do produtor.

Permitam me citar um dado da Pecuária paranaense. Antes disso, faço uma pergunta: pecuarista você quer tirar bois da sua propriedade antes que completem 24 meses? Então, a ILPF é uma ferramenta essencial para isso, porque 36,3% dos pecuaristas do Paraná abatem animais com menos de 2 anos e tem utilizado em suas propriedades alto nível de tecnologia, como é o caso da integração.

Para não ficarmos só na teoria, vou citar um dado prático de um produtor paranaense que adotou a ILPF. Esse produtor conseguia colocar em sua fazenda 1 Unidade Animal (UA significa 450 quilos de peso vivo) por hectare e com a integração passou a colocar 5 UAs. Com isso, conseguiu engordar 500 cabeças de boi e vendeu ao frigorífico com 280 quilos de peso médio por carcaça animal. Este é um belo exemplo da importância da integração.

Por fim, para deixar explícito o potencial de aumento da rentabilidade que a ILPF proporciona, pegamos o exemplo de um segundo produtor do Paraná. Esse produtor conseguiu triplicar a rentabilidade da propriedade, passando de um ganho de R$ 640 mil para um ganho de R$ 1,9 milhões, ao ano, em um período de 10 anos.

Pode-se concluir que a ILPF é uma importante ferramenta, porque os principais benefícios trazidos por ela são: diversificação da atividade de produção rural; a utilização de forma sinérgica dos recursos da propriedade; aumento do faturamento da propriedade; e, transformação de solos inférteis em terras produtivas.

Um fator imprescindível para a sociedade brasileira é o termo “intensificação sustentável”, para que o agricultor produza de forma intensiva e resiliente, para isso a tecnologia é importante, que é o caso da ferramenta ILPF.

A integração é uma ferramenta impar para melhorar os índices zootécnicos, aumentar a oferta de carne de qualidade, auferir maior renda aos produtores e intensificar a produção de grãos.

Por derradeiro, façamos alusão a afirmação de Klaus Schwab, fundador e presidente do Fórum Econômico Mundial, que “neste novo mundo não é o peixe grande que come o peixe pequeno; é o peixe rápido que come o peixe lento”.

Então, quem inova e utiliza a intensificação de tecnológica, como a ILPF, sobreviverá.

Referências

OLIVEIRA, de Elir; TEIXEIRA, Marcos Antônio; KNEBEL, Jorge; CARVALHO, Endrigo Antônio; MOLETTA, José Luiz; PEROTTO, Daniel. Contexto e Dados Técnicos da Unidade de ILP Show Rural Coopavel Período 2010 a 2015.

LOPES, Maurício Antônio. Bem-Vindo ao amanhã. Revista Coopavel. Janeiro e Fevereiro. Edição 412.

Integração Lavoura Pecuária Floresta (ILPF). Acesso em < WWW. Ilpf.com. br>

Revista Globo Rural. Novembro de 2016. Edição 373. Editora Globo.

CORDEIRO, Luiz Adriano Maia; VILELA, Lourival; KLUTHCOUSKI, João; MARCHÃO, Robélio Leandro. Integração Lavoura-Pecuária-Floresta. O produtor pergunta, a Embrapa Responde. Embrapa, Brasília/DF, 2015.

Dinheiro Rural. Revista do Agronegócio Brasileiro. Novembro de 2016 no 142.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

O Brasil e a sua Responsabilidade com a Produção de Carne Bovina para a População Mundial

A demanda por carne bovina no mundo está aumentando de forma assustadora como podemos ver a seguir. O rebanho bovino mundial em 2015 tinha 1,37 bilhões de cabeças com uma produção de 61 milhões de toneladas, assim gerando um desfrute